5 ferramentas do Google para quem trabalha com Marketing Digital

5 ferramentas do Google para quem trabalha com Marketing Digital

Última atualização:
13/12/2022
Pessoa autora:
Julia
Categorias:

O trabalho com Marketing Digital conta com diversos processos e integra diferentes áreas em busca dos melhores resultados no cenário online. Nesse contexto, existem muitas ferramentas desenvolvidas para ajudar o profissional do ramo nas suas atividades cotidianas.

Neste artigo, apresento 5 ferramentas do Google para quem trabalha com Marketing Digital. Confira:

Google Trends

O Google Trends é um aliado de quem produz conteúdo. Por meio de dados e gráficos, ele mostra o que as pessoas estão pesquisando, diariamente e em tempo real, além de apresentar as tendências de busca de um termo ou assunto específico. Aliás, é nesse site que o Google divulga as principais pesquisas do ano.

Ao consultar uma palavra-chave na ferramenta, ela irá informar o interesse ao longo do tempo e por sub-região, bem como as pesquisas e os assuntos relacionados (segmentados por "principais" e “em alta”). Também pode-se aplicar filtros de localização, período, categoria e tipo de pesquisa para obter um recorte mais específico da sua consulta.

Além disso, o Google Trends permite a comparação entre dois ou mais termos/assuntos. Dessa forma, é possível compreender o desempenho de uma palavra-chave em relação a outras e se ela é a mais estratégica.

Sendo assim, essa ferramenta gratuita ajuda a produzir conteúdos mais estratégicos, a partir da compreensão do quanto um assunto é relevante em um local ou em um período de tempo e se ele está em alta ou em queda, tendo as pesquisas do Google como base. Ela também pode ser utilizada para descobrir novas possibilidades de temas benéficos para o negócio.

Tela inicial do Google Trends
Página inicial do Google Trends

Se você trabalha com marketing de conteúdo e quer ter mais dicas de ferramentas, leia o artigo “3 sites úteis para quem trabalha com produção de conteúdo”.

Google Ads

Você sabia que, de acordo com o relatório “Digital 2022”, o Google é o site mais acessado do mundo? Por isso, é necessário estar presente na plataforma. Usá-la como uma vitrine para os seus produtos/serviços é uma estratégia essencial no digital. Assim, quando um usuário fizer uma pesquisa no mecanismo, a marca pode aparecer entre os resultados, já ofertando o que o potencial cliente precisa.

Sendo assim, o Google Ads é um parceiro de quem trabalha com anúncios digitais. Ele  possibilita a criação, a publicação, o acompanhamento e a análise de campanhas pagas que são exibidas na Pesquisa Google, no YouTube e/ou em outros canais. A partir da definição de metas, segmentações e orçamento, a ferramenta possibilita que o anunciante trabalhe diferentes tipos de campanhas, variando de acordo com os objetivos da estratégia e do negócio.

Dessa forma, o Google Ads ajuda a expor produtos/serviços na internet, alcançar mais pessoas e atrair novos clientes, aumentar as vendas e gerar mais tráfego para o seu site/e-commerce/aplicativo e visitas à loja física.

Tela de “Nova campanha” do Google Ads
Página de “Nova campanha” do Google Ads

Quer saber quais são os principais tipos de campanhas do Google Ads? Leia o artigo: “Conheça os principais tipos de campanhas do Google Ads”.

Google Analytics

Se você é da área de Web Analytics, já sabe que o Google Analytics é uma ferramenta importante para medir o desempenho de um site, blog, e-commerce, aplicativo (com o Google Analytics 4) e, até mesmo, visitas à loja. Focado em análises do comportamento do usuário nesse ambiente digital, o GA levanta métricas e ajuda com insights essenciais para alavancar o negócio.

Com ele, é possível medir o número de usuários, de sessões, de sessões por usuários, de páginas por sessão, as visualizações de página, a duração média da sessão e mais. Ele  também fornece, por exemplo, relatórios sobre a “aquisição” do tráfego, no qual é possível entender quais são os principais canais pelos quais os usuários acessam o site e o desempenho de campanhas específicas, bem como métricas como lifetime value e a funcionalidade de análise de corte.

E além de entender como o usuário chega até o site, você também pode analisar como ele navega pelas páginas, com base, por exemplo, no clique em eventos cadastrados no site, e medir as conversões a partir das metas estabelecidas (e suas conclusões), do desempenho de produtos e vendas em e-commerces e da análise de funis multicanal.

Outro recurso da ferramenta é o painel em “tempo real”, no qual você consegue observar quantos usuários estão ativos no site no momento, as principais páginas acessadas, a origem do tráfego e as principais palavras-chave.

Por isso, é importante ter os sites que você analisa cadastrados no Google Analytics, já que a ferramenta trará diversas informações sobre os clientes e toda a jornada de navegação e compra, passando por aquisição, comportamento e conversão.

Tela de “Tempo real” do Google Analytics
Página de “Tempo real” do Google Analytics

Vale lembrar que, em março, o Google anunciou que o atual Universal Analytics será desativado e substituído pelo Google Analytics 4. Para entender mais sobre essa mudança, assista  à nossa live: “Google Analytics 4: o que você precisa saber sobre a ferramenta”.

Google Search Console

O Google Search Console também é uma ferramenta para medir o desempenho de sites, mas com foco nos resultados de pesquisa do Google. Ele auxilia a equipe de SEO na análise do tráfego, na correção de eventuais problemas e no destaque das páginas nas buscas.

Dentro da ferramenta, você tem acesso a diferentes relatórios. Por exemplo, o de “Desempenho nos resultados da Pesquisa”, no qual mede-se o total de cliques e de impressões, a CTR média e a posição média do seu site. Ainda é possível aplicar, por exemplo, filtros de tipos de pesquisa, data e mais. Além disso, ele destaca, a partir das métricas iniciais, as principais consultas e páginas, bem como países, dispositivos, aspectos da pesquisa e datas.

No Search Console, também pode-se trabalhar com relatórios de: desempenho no Discover, desempenho no Google Notícias, cobertura, sitemaps, principais métricas da Web, usabilidade em dispositivos móveis, AMP, status da pesquisa aprimorada, ações manuais, problemas de segurança e links.

Outro diferencial é a possibilidade de utilizar ferramentas de, por exemplo, inspeção de URLs, teste de AMP e teste de compatibilidade com dispositivos móveis.

Dessa forma, usar o Search Console torna-se essencial para que o Google possa encontrar, rastrear e indexar um site (e o conteúdo disponível nele). Essa ferramenta gratuita também é necessária para você analisar os dados de tráfego para a tomada de decisões, ter insights para otimizar o site para os mecanismos de busca e encontrar pontos de melhoria.[

Tela de “Inspeção de URL” do Google Search Console
Página de “Inspeção de URL” do Google Search Console

Google Data Studio

Outro parceiro da área de Web Analytics é o Google Data Studio. Por meio de dashboards personalizáveis e colaborativos, ele ajuda a transformar dados brutos em informações valiosas para o negócio.

Com essa ferramenta gratuita, é possível ler e trabalhar os dados de forma objetiva, clara e visual, utilizando diferentes formatos de gráficos e tabelas, como de linhas, barras, pizza, área, mapas, bolhas, tabelas dinâmicas e outros. Ela também permite a inclusão de um filtro de período, imagens, links, anotações e mais. Assim, os relatórios gerados se tornam mais dinâmicos.

Você pode começar o seu dashboard usando, como base, um dos modelos disponibilizados na galeria da ferramenta ou, então, abrindo um documento em branco e construindo a identidade visual a partir do tema e do layout que preferir.

Além disso, o Data Studio possui integração com outros aplicativos do Google, como Google Analytics, Google Ads, Search Console, Planilhas e YouTube, bem como sites externos, que disponibilizam dados de Facebook Ads e Twitter Ads, por exemplo. Dessa forma, trabalha-se de maneira automatizada e com dados de diferentes origens.

Por isso, o Google Data Studio é uma ótima alternativa para quem está buscando otimizar o processo de produção de relatórios. Além de manusear os dados para transformá-los em informações relevantes para a estratégia do negócio, ele permite que você compartilhe o documento com a equipe para editar em conjunto e envie um link para o cliente visualizar os insights levantados.

Tela com relatório de tutorial do Google Data Studio
Relatório de tutorial do Google Data Studio

Se você se interessou pela ferramenta, leia também “Usando o Google Data Studio para a visualização de dados”.

Gostou do artigo? Compartilhe! E não deixe de me contar, aqui nos comentários, qual ferramenta do Google não pode faltar no seu dia a dia. 😉