Conheça o Pixel do Facebook e as suas funcionalidades

Conheça o Pixel do Facebook e as suas funcionalidades

Última atualização:
13/12/2022
Pessoa autora:
Equipe DiTi
Categorias:

Recentemente, escrevi sobre as tags de acompanhamento nos sites, sua função e importância. No artigo de hoje, vou falar, especificamente, da tag de acompanhamento do Facebook, chamada de Pixel.Leia o artigo “A importância de ter tags de acompanhamento instaladas no seu site”.O Pixel é como um “informante”, responsável por fornecer informações sobre as visitas que um site recebe. Assim, é possível entender o comportamento dos usuários e, a partir disso, criar campanhas de anúncios ou até mesmo, otimizar o site de uma forma que torne a navegação mais fácil.

As três formas de instalar o Pixel no site

Existem algumas maneiras de instalar o Pixel no seu site. Uma delas é gerar o código necessário para tal e, depois, enviar para um programador que seja o responsável por mexer em todos os códigos de seu site, para que ele instale da maneira correta.Também é possível instalar o Pixel por meio de ferramentas que sejam parceiras do Facebook. Um exemplo de ferramenta parceira é o Google Tag Manager (cabe um artigo explicando apenas sobre as funcionalidades dessa ferramenta, não?), na qual é possível inserir várias tags/códigos dentro do site, sem a necessidade de acionar um programador/desenvolvedor para cada vez que for necessário fazer uma instalação.A terceira opção existente para a instalação é a velha “coloque a mão na massa” e acabe fazendo por conta, inserindo o código do Pixel você mesmo, dentro de seu próprio site.

Print da instalação do Pixel
Print da instalação do Pixel

Pixel instalado, e agora?

Após instalado em seu site, a próxima etapa é a criação de Eventos. Os eventos são as ações que cada pessoa realiza dentro do site, como por exemplo: compras, adição ao carrinho, cadastro, inicialização do processo de pagamento, visualização de conteúdo.Sabendo como cada evento é realizado dentro do site, é possível entender qual ação o público vem realizando dentro dele, o que ajuda na hora de criar campanhas, dentro do Facebook, que “conversem” com cada tipo de perfil.Para criar essas “campanhas que conversam” com cada evento, basta criar um público utilizando a base de dados do site, extraídos através do Pixel. Nele, você consegue criar campanhas específicas para pessoas que realizaram ações determinadas, como as que visualizaram alguma página, aquelas que adicionaram produtos ao carrinho de compras, quem começou o processo de pagamento mas não concluiu e, até mesmo, aqueles que já realizaram alguma compra dentro do site. Esses são os chamados públicos personalizados.Também existe a possibilidade de criar os públicos semelhantes, que são os conhecidos como lookalike. Esse público funciona da seguinte forma:

  • Primeiro, você seleciona o público correspondente a algum evento específico (compra, adição ao carrinho, etc.);
  • Depois, você seleciona a opção para criar um público semelhante, e escolhe o tamanho da porcentagem, indo de 1 a 10. O 1% consiste nas pessoas mais parecidas com o público personalizado, já o 10%, um público maior e mais amplo.

Utilizando esse público, você consegue criar campanhas para as pessoas que possuem características muito semelhantes ao público mais quente, que são aqueles que já realizaram alguma ação dentro de seu site.Neste artigo, apresentei informações, de forma mais sucinta, sobre o Pixel, sua função e como utilizá-lo para criar campanhas. Se quiserem, posso escrever no futuro ensinando como fazer algumas das instalações ou então, aprofundar cada vez mais nos tipos de públicos que são possíveis criar e utilizar para as campanhas no Facebook Ads. Deixem suas sugestões aqui nos comentários!